A aposentadoria no Brasil

10:19,0 Comments

O Brasil possui um amplo sistema de segurança social ao qual todos os que trabalham no Brasil estão obrigados a contribuir, inclusive os expatriados. As contribuições para a segurança social são pagas tanto pelo empregado como pelo empregador. Entre 8 e 11% do salário antes do imposto do empregado é deduzido para a segurança social pelo Ministério dos Assuntos Sociais.
Com um pequeno número de países, como o Chile, a Grécia, a Itália, Luxemburgo, a Espanha e Portugal, o Brasil celebrou acordos específicos de segurança social. O governo também assinou esses acordos com a Bélgica, Alemanha e Japão, mas estes ainda não foram ratificados. Embora os seguros nacionais desse país geralmente tenham que contribuir para o sistema de segurança social brasileiro, suas contribuições podem ser levadas em conta no cálculo das prestações em seu país de origem após seu retorno.
As prestações de segurança social, como as pensões, as prestações de doença e as prestações de invalidez são pagas pelo Instituto Nacional da Segurança Social (INSS). Para poderem beneficiar de uma pensão de velhice, os trabalhadores têm de contribuir para o mínimo de 15 anos, enquanto as prestações de invalidez exigem um mínimo de 12 meses de contribuição para o regime. Além disso, os montantes pagos são bastante baixos, especialmente quando comparados com os padrões internacionais.
Além dos fundos do INSS, todos os empregadores no Brasil são obrigados por lei a estabelecer o chamado FGTS para cada funcionário. O FGTS é um tipo específico de conta congelada em que o empregador paga uma certa percentagem do salário mensal do empregado. No caso de eventos específicos, tais como término sem causa ou doença grave, o funcionário recebe o dinheiro de sua conta, informações sobre o extrato inss.

Ao contrário de todos os outros países da América Latina, a língua principal do Brasil é o português - falado por cerca de 97% da população do país. Embora a língua escrita seja mais ou menos semelhante à portuguesa utilizada em Portugal, há diferenças consideráveis ​​na língua falada. 

You Might Also Like

0 comentários: